O Grupo BAI

A 13 de Novembro de 1996 é constituído o Banco Africano de Investimentos mais tarde Banco Angolano de Investimentos, o BAI, como o primeiro banco angolano privado, que tinha como visão não apenas liderar o mercado bancário angolano mas também tornar-se uma referência na banca internacional, num momento de abertura e transição do mercado para uma economia privada e para a paz em Angola.

Sem perder de vista o seu propósito inicial de operar no mercado de investimentos, o BAI soube identificar novas oportunidades e ajustar o seu plano de negócios inicial às reais necessidades do mercado nacional. O BAI passa também a oferecer serviços a clientes particulares e empresas actuando como consultor financeiro prestando serviços de elevado valor acrescentado. Alicerçado sobre fortes relações comerciais e de confiança, o BAI torna-se o maior banco privado angolano, tendo sido avaliado em 2016 com activos líquidos superior aos 8,2 mil milhões de dólares, carteira de crédito líquido de 2,3 mil milhões de dólares e recursos de clientes de 6,9 mil milhões de dólares, com o número de clientes a crescer cerca de 16% ao ano. Na prossecução de uma estratégia internacional activa, o universo do grupo BAI, alarga-se, passando a ser constituído por:

Angola:- BAI Angola (BAI)

Angola:– BAI Micro Finanças (BMF)

Cabo Verde:- BAI Cabo Verde (BAICV)

Portugal:- BAI Europa (BAIE)

Em São Tomé e Príncipe a presença do BAI é feita através do Banco Internacional de São Tomé e Príncipe (BISTP), em parceria com a Caixa Geral de Depósitos.

O accionista BAI participa ainda no primeiro fundo de private equity dedicada exclusivamente a investir em Angola. Com domicílio no Luxemburgo, o FIPA assegura um modelo de boa governação e a sua conformidade com as melhores práticas internacionais, e sua estratégia de investimento visa investimentos individuais até US$ 8 milhões em capitais próprios, ou outros instrumentos de financiamento de longo prazo, em Pequenas e Médias Empresas em Angola, incluindo projetos de expansão, management buyout, management buy-in, privatização e startups. O FIPA angariou US$ 39 milhões de capital comprometido com uma maturidade de 10 anos. Os seus investidores incluem o BAI, Norfund, BEI, AECID (Espanha), IFU (Dinamarca) e o Atlântico.

Ao nível do reconhecimento da marca BAI, destacam-se as seguintes premiações:

  • Melhor Banco Digital em Angola em 2018;
  • Três vezes considerado como o Banco nº 1 em Angola em termos de activos pela revista The Banker (2013, 2017 e 2018);
  • Quatro vezes consecutivas considerado pela revista Global Finance como o Banco mais seguro de Angola (2017, 2018, 2019, 2020);
  • Oito vezes considerado o Melhor Banco em Angola pela Revista Euromoney (2012, 2013, 2014, 2016, 2017, 2018, 2019, 2021);
  • Duas vez consecutivas distinguido com o prémio nacional Sirius de Melhor Relatório de Gestão e Contas do Sector Financeiro (2015 e 2016);
  • Banco com o maior Índice de Satisfação e Confiança dos Clientes - Markest e Mira (2020);
  • Melhor Banco em Angola - Global Finance (2021).