Dados hoje divulgados, hoje, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que os preços dos produtos importados tiveram uma descida de 0,4% quando comprados com Dezembro de 2020.

A descida dos preços dos produtos importados em Dezembro é justificada, conforme o relatório do INE, com a diminuição dos custos de importação de “Bens Intermédios” (- 3,3%), "explica-se, essencialmente, com a descida dos preços de “produtos transformados para a indústrias variadas” (-16,8%)" e dos “Bens de capital” (-2,9) que se justifica "pela descida de preços de “máquinas” (-2,2%)".

Uma descida que só não foi mais acentuada por ter sido contrariada pelos aumentos dos preços que "ocorreram nas categorias de grupo: “Bens de Consumo” (0,1%) justifica-se pela subida de preços de “outros bens de consumo semi-duradouros” (22,9%) e “Combustíveis” (1,4%)".

Em termos homólogos, acrescenta o relatório do INE, o índice de preço da importação diminuiu 14,4%, relativamente ao mês de Janeiro de 2020.

Mas não foram apenas a importações que tiveram uma descida de preço no primeiro mês deste ano. Segundo o INE também os preços das exportações registaram uma descida de 0,3% em Janeiro deste ano quando compradas com o último mês do ano passado. A descida é ainda mais acentuada quando comprada com Janeiro do ano passado. Comparando os meses de Janeiro de 2021 com Janeiro de 2020 o preço das exportações desceu 2% nota o INE no documento enviado à comunicação social.

Já no que respeita ao ano de 2020 o INE, no Índice de Preços do Comércio Externo, dá conta que os preços dos produtos importados diminuíram em 7,3%. Já em termos homólogos - comparação com 2019 - a taxa de variação dos preços dos produtos exportados fixou-se em -0,8%.

O documento mostra que a "classe “Bens de Consumo” (0,0%) manteve o mesmo valor registrado no ano transato, registando-se descida dos preços de “produtos alimentares primários” (-1,3%)” e “produtos alimentares transformados” (-0,2%)". Já as diminuições dos preços mais expressivos "ocorreram nas seguintes categorias de grupos: “Bens Intermédios” (-2,4%), devendo fundamentalmente pela a descida dos preços de “Produtos transformados para a construção” (-2,6%) e “peças para material de transporte” (- 9,3%) e “Combustíveis” (-16,4%)".